Notícias

Energisa vai investir R$ 145 milhões para interligar regiões isoladas do Acre ao SIN

13 de março de 2019

Clientes dessas áreas são abastecidos atualmente por usinas termelétricas; iniciativa levará energia mais segura e confiável à região e reduzirá a emissão de poluentes

Cinco usinas termelétricas do Acre – que geram energia mais cara e poluem a atmosfera – serão desativadas até o fim de 2025, seguindo um plano de investimentos de R$ 145 milhões da Energisa na distribuidora Eletroacre. O projeto prevê a ligação das cidades atendidas por esses sistemas isolados ao Sistema Interligado Nacional (SIN), beneficiando mais de 60 mil clientes, espalhados por sete municípios.

Com a desativação dessas térmicas, a Conta de Consumo de Combustíveis (CCC) terá uma redução de mais de R$ 183,4 milhões por ano. Trata-se do encargo pago na tarifa de todos os clientes das distribuidoras de energia elétrica do país para subsidiar os gastos com abastecimento de áreas atendias por sistemas isolados. Isto representará a redução de emissões de 135 mil toneladas de gás carbônico equivalente (CO2e) nessa atividade, com a eliminação de 57,3 milhões de litros no consumo de óleo diesel usados na geração de eletricidade anualmente.

Uma das principais melhorias previstas para o estado diz respeito à confiabilidade da energia. Enquanto os sistemas isolados dependem de uma única fonte de geração, no caso, a usina termelétrica, as regiões interligadas ao SIN são abastecidas por diversas usinas, como hidrelétricas e eólicas. “Se houver algum problema em alguma dessas unidades, as outras quase sempre conseguem suprir o fornecimento, evitando apagões como o que ocorreu em Cruzeiro do Sul, em janeiro de 2018”, explica o diretor-presidente da empresa, José Adriano Mendes Silva. Na ocasião, a segunda maior cidade do Acre ficou sem energia por nove horas devido a um incêndio na usina da Guascor, que abastece o município. O impacto nos indicadores de qualidade da distribuidora somente por conta deste episódio foi de 6,28 horas no DEC (duração das interrupções no fornecimento).

As obras incluem a construção de 264 km de linhas de transmissão e distribuição e cinco novas subestações, divididas em dois blocos, nas cidades de Assis Brasil, Manoel Urbano, Feijó, Tarauacá, Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima e Rodrigues Alves. Ao todo, a capacidade instalada será de 100 MVA.

José Adriano destaca ainda os efeitos positivos da interligação dessas áreas. “O Acre possui muitas regiões remotas com problemas de abastecimento provocados pelos sistemas isolados de geração, abastecidos por usinas termelétricas. Elas queimam combustíveis fósseis e produzem muitos gases poluentes, além de serem mais caras. Com a interligação dessas cidades, vamos ganhar em muitas frentes, já que teremos uma energia mais limpa, confiável e estável”, destaca o executivo.

No Bloco I, serão investidos R$ 83 milhões nas localidades de Assis Brasil e Manoel Urbano, onde serão construídas duas subestações e duas linhas de distribuição até 2021. Já no Bloco II, serão investidos R$ 62 milhões nas localidades de Feijó, Tarauacá, Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima e Rodrigues Alves. As obras deverão ter início após a licitação e construção da Linha de Transmissão rede básica em 230 kV interligando Rio Branco a Cruzeiro do Sul, com previsão de conclusão em 2025, segundo a Empresa de Pesquisa Energética (EPE). O projeto do Bloco II prevê a construção de três subestações e três linhas de distribuição nesses locais, aumentando a confiabilidade do sistema elétrico que atende à região.

Parte dos valores investidos nessas obras faz parte do pacote de R$ 228 milhões de investimentos que a Energisa fará na Eletroacre, que também abrange a ampliação e modernização dos sistemas, a capacitação de equipes, a ampliação do atendimento e da logística na região e a melhoria dos canais de atendimento ao cliente. Além dos investimentos previstos, a Energisa já havia aportado cerca de R$ 239 milhões em 2018 para regularizar dívidas e melhorar a saúde financeira da concessionária.

 

Sobre o Grupo Energisa

Com 113 anos de história, o Grupo Energisa é um dos maiores do Brasil em distribuição de energia elétrica. Uma das primeiras empresas a abrir capital no Brasil, a companhia controla 11 distribuidoras em Minas Gerais, Paraíba, Rio de Janeiro, Sergipe, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, São Paulo, Paraná, Rondônia e Acre.  O Grupo atende a 7,7 milhões de clientes — o que representa uma população atendida de quase 20 milhões de pessoas, em 862 municípios, em todas as regiões do Brasil. Com receita líquida anual de R$ 15,5 bilhões (ano 2017), o grupo gera aproximadamente 16 mil empregos.

Com a missão de transformar energia em conforto, desenvolvimento e oportunidades de forma sustentável, responsável e ética, a Energisa atua com um portfólio diversificado que engloba distribuição, geração, transmissão, serviços para o setor elétrico (Energisa Soluções), serviços especializados de Call Center (Multi Energisa) e comercialização de energia (Energisa Comercializadora).


Veja também:

Eletroacre faz podas de árvores para garantir segurança e o fornecimento de energia19 de março de 2019Os cuidados com as árvores e um plano adequado de arborização em áreas urbanas podem reduzir as interrupções de energia causadas por interferência de galhos na rede elétrica e prevenir acidentes com a população. Quando a árvore está em contato com a rede a poda deve (...)
Energisa vai investir R$ 145 milhões para interligar regiões isoladas do Acre ao SIN13 de março de 2019Clientes dessas áreas são abastecidos atualmente por usinas termelétricas; iniciativa levará energia mais segura e confiável à região e reduzirá a emissão de poluentes Cinco usinas termelétricas do Acre – que geram energia mais cara e poluem a atmosfera – serão (...)
Tarifa Branca beneficiará apenas clientes que consomem mais energia fora dos horários de pico12 de março de 2019A Tarifa Branca é uma nova opção de cobrança que dá ao cliente a (...)
Região de Epitaciolândia recebe obras de melhoria na rede elétrica que totalizam R$ 17 mi8 de março de 2019A população de Epitaciolândia, Xapuri, Brasileia e Assis Brasil terá a partir abril mais qualidade no fornecimento de energia. A Eletroacre está realizando obras de modernização e ampliação da subestação de Epitaciolândia, atendendo a uma demanda antiga dos moradores (...)