O Grupo Energisa destinou 29 toneladas de alimentos para famílias de Rondônia, de um total de 329 toneladas divididas entre os 11 estados onde atua

As demandas surgidas durante a pandemia têm provocado a mobilização de vários agentes – sociedade e empresas – no sentido de minimizar alguns problemas, entre eles a fome. Levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), feito entre 2017 e 2018 (antes da crise na saúde), divulgado em agosto, mostra que o tema já era de grande gravidade. Cerca de 41% da população brasileira (84,9 milhões de pessoas) convivem com a fome ou sofrem algum grau de insegurança alimentar, mostra a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF). 

O Grupo Energisa tem atuado de forma ativa desde o início da pandemia por meio do movimento Energia do Bem, criado pela própria empresa para viabilizar ações emergenciais que ajudem a superar a crise humanitária provocada pela Covid-19

Ao todo, o grupo vai doar em torno de 14 mil cestas básicas nos 11 estados onde atua, num total de 329 toneladas de alimentos. Recentemente, a companhia destinou 29 toneladas de kits para famílias de Rondônia.

Colaboradores

Parte dos alimentos veio da contribuição feita pelos seus colaboradores. Os mantimentos foram entregues pela concessionária à Secretaria de Assistência Social de Porto Velho (300 unidades), Núcleo e Apoio a Criança com Câncer (50), para a comunidade indígena Uru-Eu-Wau-Wau em Tarilândia (92) e Associação Luz do Alvorecer (50). As entregas seguirão conforme calendário definido previamente.

A Central Única das Favelas (CUFA) fez um diagnóstico socioeconômico e selecionou 100 famílias do bairro Orgulho do Madeira, em Porto Velho, para receber as cestas básicas por três meses.

A ação fez parte da segunda etapa da ação humanitária de combate à fome realizada pela Energisa A participação dos colaboradores é feita de forma inovadora, por meio de financiamento coletivo (matchfunding). A cada real doado pelo funcionário a empresa contribui com mais um real. Com isso, as arrecadações totais ultrapassaram R$ 1 milhão.

Com uma adesão expressiva entre os profissionais que atuam na empresa, André Theobald, diretor-presidente da Energisa em Rondônia, analisa “Temos orgulho em ver como nossos colaboradores são engajados e querem ajudar a nossa comunidade. Com a união dos recursos estamos alcançando o dobro de famílias do que na primeira etapa”. 

Mãe solo de três crianças, Daniele Cristina Sales Leal, desempregada, pede que as adesões a movimentos como esse cresçam. “Se você puder ajudar, de coração, Deus vai abençoar e vai multiplicar muito mais na mesa de vocês”.

Planejamento

Um dos diferenciais da iniciativa, segundo Theobald, é o período em que as famílias receberão o apoio. Serão três meses de doações. “Ter a certeza de que nos próximos meses a família vai ter algo fundamental como a alimentação dá energia para buscar formas de suprir a renda, mas sobretudo, dá esperança de que esse momento difícil vai passar”, diz o diretor-presidente.

O movimento Energia do Bem, da Energisa, tem colocado em prática uma série de ações desde o início da pandemia. Em um dos projetos, em Rondônia, a distribuidora executou obras que colaboraram para viabilizar a abertura de 79 leitos no Hospital de Base e Assistência Médica Intensiva (AMI). Com isso, houve um incremento de cerca de 30% os leitos de UTI no sistema de saúde do estado.

A distribuidora fez a doação de insumos para Cemetron e Hospital de Base e contribuiu com o reparo de seis respiradores pulmonares, em parceria com o Senai, entregues às duas instituições de saúde. Além disso a Energisa contribuiu com a compra emergencial de cerca de 52 mil luvas e 2 mil máscaras, em ação coordenada pela Federação das Indústrias de Rondônia (Fiero).

Rondônia é o estado que lidera o plano de investimentos da Energisa em 2021.