Segundo pesquisa, além do incentivo à imunização, a maioria dos colaboradores acredita que as empresas também devam exigir a vacinação no retorno presencial

Com o avanço da vacinação no Brasil, empresas e profissionais se preparam para retornar com suas atividades presencialmente. Para que esse retorno aconteça de forma segura, a maior parte dos brasileiros julga necessário que todos estejam vacinados. De acordo com uma pesquisa realizada com mais de mil respondentes pelo LinkedIn, 90% das pessoas acreditam que as empresas devam exigir a vacinação contra Covid-19. Diante desse cenário, várias companhias têm concentrado seus esforços em incentivar a imunização entre seus colaboradores. Além de contribuir com a diminuição de casos, as ações e campanhas internas tem auxiliado para o retorno gradativo das atividades econômicas. Suporte que vem do diálogo e, também, da tecnologia. 

Em Mato Grosso, a Energisa desenvolveu uma plataforma onde os funcionários conseguem registrar e acompanhar dados de vacinação. Segundo o coordenador de saúde e segurança do trabalho da empresa, Victor Hugo de Amorim Oliveira, a tecnologia auxiliou as ações de incentivo à imunização. Com o preenchimento das informações do site, o próprio sistema auxilia os funcionários no controle vacinal. “Quando o colaborador recebe a primeira dose e registra a informação, o site faz o cálculo e informa a data da próxima dose, reforçando assim, a importância do processo completo de imunização”. 

A campanha de vacinação foi tema de várias ações e palestras internas na companhia. “Os colaboradores são sempre incentivados a publicarem fotos da vacinação nos grupos internos de comunicação da empresa. Com essa ação, conseguimos atingir o máximo de pessoas possíveis e exaltar a importância da vacina”, acrescenta o coordenador. A Energisa atua em mais dez estados. O grupo atingiu mais de 15 mil colaboradores protegidos.

Vacina garante o negócio

Além de manter a saúde dos empregados, a vacinação também gera segurança para atender bem. Com operação em Mato Grosso, a empresa de viagens e eventos coorporativos Tour House encontrou na vacina uma forma de se reestabelecer. “Com a pandemia, várias empresas cancelaram seus eventos e adiaram viagens, algumas recorreram ao formato digital, mas não atendeu as oportunidades e destaques dos eventos presencias. Com o avanço da vacinação, sentimos uma melhora de cenário, o que nos mostrou que a vacina é o caminho correto”, ressalta o presidente e fundador da empresa, Carlos Prado. 

Com uma pesquisa interna, a Tour House conseguiu coletar informações que serviram para sanar dúvidas e dificuldades, desmistificando questões envolvendo a doença e a vacina. “Com a pesquisa, conseguimos identificar quem ainda não havia se imunizado e intervir em situações de dificuldades e até mesmo de desinformação, procurando sempre orientar da melhor forma os colaboradores”.

Além do incentivo à imunização, as empresas vêm reforçando os protocolos de biossegurança no trabalho e no dia a dia. A utilização de máscara, álcool em gel e o distanciamento social continuam obrigatórios para todos, inclusive para quem já recebeu as duas doses, medidas essenciais para a prevenção de novos casos.

Sobre o UPV

O movimento Unidos pela Vacina tem apoiado, por meio de doações, a aceleração da imunização contra a Covid-19 no país. As ações têm se concentrado em auxiliar em toda a cadeia produtiva da vacinação por meio da aquisição de agulhas, seringas, transporte, armazenamento e locais de vacinação, itens essenciais para o avanço da vacinação. Atuando em rede, o movimento nacional foi idealizado pelo Grupo Mulheres do Brasil, liderado pela empresária Luiza Helena Trajano. Em Mato Grosso, o movimento é coordenado pela Energisa e grupo Mulheres do Brasil, com apoio da Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt) e o Grupo de Líderes Empresariais (Lide-MT). Saiba mais em www.unidospelavacina.org.br.