Fenômeno que atingiu o Interior de São Paulo, Minas Gerais e o Mato Grosso do Sul surpreendeu brasileiros

A Energisa Sul-Sudeste, que atende a 82 municípios de São Paulo, Paraná e Minas Gerais, recebeu reforço de outras operações, como Mato Grosso e Tocantins, para restabelecer a energia elétrica nas regiões do interior de São Paulo que foram atingidas por tempestades de areia. Somente em Presidente Prudente, uma das cidades mais afetadas, mais de trinta equipes trabalharam dia e noite para atender ocorrências após o fenômeno.

Em 72 horas, mais de 3 mil ocorrências relacionadas ao temporal foram atendidas na região. As imagens surpreenderam os brasileiros: o dia virou noite nas cidades afetadas e os ventos fortes, com até 100 km/h, provocaram estragos à população.

As tempestades de areia são comuns nos desertos da Ásia, mas os brasileiros não estão acostumados. A razão para o fenômeno tem a ver com o clima: a chegada dos temporais, em setembro e outubro, às regiões Centro-Oeste e Sudeste, encontra areia e poeira no solo, que estão secos devido à estiagem e às elevadas temperaturas.

O fenômeno surpreendeu este ano porque a escassez de chuva nos últimos meses fugiu do normal. Choveu pouquíssimo em regiões como o Noroeste paulista e o Triângulo Mineiro. Segundo o MetSul, em Franca, uma das cidades paulistas atingidas, foram apenas 0,4mm de precipitação em julho e 0,4mm em agosto.

Como também fez muito calor, com temperaturas que superaram os 40°C, o solo perdeu umidade e uma grande quantidade de areia acumulou-se na superfície. Esta areia subiu quando os ventos com as chuvas chegaram.

Dias depois foi a vez de cidades do Mato Grosso do Sul sofrerem com as tempestades de areia e descargas elétricas – 145 mil raios caíram no estado, que registrou mais de 13 mil pessoas sem energia. A Energisa mobilizou suas equipes para retomarem o mais rapidamente possível o fornecimento de energia a toda a população.