Faturas podem ser pagas a qualquer hora

A Energisa é a primeira distribuidora do setor elétrico a incluir o QR Code nas faturas impressas para quem for usar o Pix, o novo sistema de pagamento digital, lançado pelo Banco Central em 16 de novembro do ano passado. A novidade passou a valer a partir de 11 de fevereiro para os clientes das distribuidoras do Grupo Energisa, incluindo Mato Grosso e Rondônia.

O recurso do QR Code Pix para o pagamento da conta de energia gera economia de tempo para o usuário, já que basta a leitura do código e o processamento é feito em apenas alguns segundos.

Com o uso do Pix, o cliente pode pagar a fatura da Energisa a qualquer hora, já que o serviço está disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana. Ou seja, o novo sistema de pagamento digital oferece mais segurança, agilidade e praticidade. Por isso, a experiência é muito melhor para o usuário – agora também na hora de quitar a conta de energia.

Confira aqui como funciona

A nova tecnologia faz parte da estratégia de negócio da Energisa, desenvolvida em torno do conceito de Energia 4D. Nela, a digitalização está no centro estratégico do  negócio. Quem quiser, pode ainda fazer o pagamento da fatura com o QR Code Pix por meio da conta digital do Voltz, braço recém-lançado de serviços bancários e financeiros da Energisa. 

Os números confirmam que o Pix tem conseguido uma rápida aceitação entre os brasileiros. Levantamento recente feito pelo Centro de Estudos de Microfinanças e Inclusão Financeira da FGV (FGVcemif), em parceria com a empresa de pesquisas de mercado Toluna, mostra que 98,95% dos entrevistados já ouviram falar do PIX. Entre eles, 77,65% já cadastraram uma chave de acesso. 

Os principais motivos citados pelos entrevistados para o uso do Pix foram facilidade e rapidez. Ao todo, 76,03% responderam estar satisfeitos com o Pix.

Além de Mato Grosso e Rondônia, a Energisa está disponibilizando o uso da nova ferramenta em outras praças onde atua: Borborema, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Rondônia, Sergipe e Tocantins, Nova Friburgo, Borborema, Paraíba, Rondônia, Sergipe Tocantins, unidades de Minas Gerais, Sul-Sudeste e, a partir de março, é a vez de o Acre aderir ao Pix.